mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Julho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Contos Recentes

A TODOS O QUE LEÊ...

Dia de Anos de Uma Crianç...

Dia de Anos de Uma Crianç...

O TEMPO E O AMOR

ERA GLACIAL

OS FINS JUSTIFICAM OS MEI...

Gladiadores do sec. XXI

FORTE CASTELO DE AREIA

FRAGIL CASTELO DE AREIA

AMIGO

O PATO E A CORUJA

ACASO OU DESTINO

NESTA PASCOA PENSA COMIGO

O porquê da Pascoa cedo e...

O Carochinha e o João Rat...

DIA DO PAI

A SIMPLICIDADE

O DESERTO DE ÁGUA

ABRE UMA NOVA JANELA

QUEM LEMBRA A NAU CATRINE...

UM PASSEIO PELO CAMPO

SABEDORIA INFANTIL

A Noite em que a Noite Nã...

Às 7 em Ponto

Detector de Mentiras

A GRANDE LEI DE SALAZAR

O Mundo nas mãos de uma c...

A Loja da Verdade

De Quem Gostamos Afinal?

O Estado da Justiça Em Po...

PARA QUEM O TRABALHO É UM...

Uma Prenda Diferente

Um Minuto

A importância de um amigo

S. Valentim

A MASCARA

Julgar é Fácil

Quem És?

RELAÇÔES HUMANAS

Mais que ensinar, saber o...

Arquivos

Julho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Contos por Palavras

vida(25)

amigos(18)

amor(13)

felicidade(11)

família(9)

solidão(8)

amizade(7)

sonho(7)

criança(4)

historias(4)

verdade(4)

morte(3)

acaso(2)

animais(2)

atenção(2)

crença(2)

destino(2)

ensinar(2)

esperança(2)

humanas(2)

lei(2)

pascoa(2)

paz(2)

portugal(2)

querer(2)

relaçôes(2)

simplicidade(2)

actor(1)

aventura(1)

azar(1)

contos(1)

dar(1)

diferença(1)

(1)

filho(1)

honestidade(1)

igualdade(1)

julgar(1)

justiça(1)

lenda(1)

liberdade(1)

mar(1)

mentira(1)

namorados(1)

natal(1)

pai(1)

pátria(1)

receber(1)

salazar(1)

sorte(1)

teatro(1)

tempo(1)

trabalho(1)

viagens(1)

todas as tags

Leitores de Histórias:

Counters
Counters

Quantos estão nos contos:

a ler
blogs SAPO

subscrever feeds

Segunda-feira, 14 de Janeiro de 2008

Mais que ensinar, saber ouvir.

Um professor dava aulas a uma turma numerosa.

Pouco a pouco os alunos iam diminuindo.

Até que um dia já só tinha um ouvinte.

O professor disse-lhe:
- Deixaremos a aula para outro dia em que haja mais alunos.
No dia seguinte, o aluno tratou de convencer outros a irem, mas, como ninguém queria, levou consigo uma colecção de bonecos, e distribuiu-os pela sala.

E disse ao professor:
- Hoje trouxe um público numeroso.
Pode dar as suas aulas.

O professor viu os bonecos e disse-lhe:
- Mas são apenas bonecos!
- Sim, é verdade. Mas os alunos que vinham antes, não eram melhores que bonecos porque não sabiam escutar o seu ensino.

- Mas, o que faz a te querer que o meu ensino servirá de alguma coisa para a tua vida? - perguntou o professor.

O aluno apressou-se em responder-lhe:
- Só duas coisas podem ser possíveis, ou o professor pretende apenas falar dos seus conhecimentos, o que até não é uma tarefa difícil, dado que foi para isso que estudou. Pretendendo com isso, simplesmente, querer-se mostrar pretensioso para se afirmar uma pessoa mais inteligente do que nós, ou então, são os meus colegas que não sabem ouvir e escutar em silêncio os conhecimentos que a todos nós nos deseja transmitir, de forma a conseguirmos compreender. Eu acredito na última, entendo e desejo o seu ensino.
Há muitas espécies de ouvintes e de leitores.

Há aqueles que não entendem mais do que os bonecos. Apenas querem-se mostrar, e até são bem sucedidos, mas não aprendem nada. Fechados no ciclo do seu se egocentrismo são incapazes de ouvir ou ler o que os outros também querem transmitir.
Por outro lado, existem aqueles que apenas deixam um rasto silencioso da sua permanente atenção em querer aprender ouvindo e escutando os outros, sem se querer mostrar, mas, sem com isso, querer dizer que não aprende e compreende muito mais que os outros, pois sabe ouvir, ler, entender e aprender.
Não é a escrever ou a falar que fazemos ou outros acreditar em nós, mas sim com os actos, muitas vezes silenciosos, que mostramos ser.
Ensinamos compreendendo que tudo aquilo que queremos transmitir não depende só de quem o dá, mas também de quem ouve.

Contos por Palavras: ,
contado por Jorge Oliveira às 14:45

link do Conto | o que conta sobre este conto? | favorito
|

Outros Contos